Presente de namorado

Já que hoje é o “dia dos namorados” e como esse ano não estou comemorando-o nem me preocupando com presentes…vou usar o tempo que me sobrou pra postar algo sobre isso aqui. Calma, não vou falar exatamente sobre o “dia dos namorados”, afinal esse blog trata de assuntos cientificamente mais interessantes! Mas, se você não dá muita importância para presentes de “dia dos namorados”, aqui vai um exemplo da importância de um presente para certos animais.

A Teoria da Seleção Sexual proposta por Darwin, estabelece que certas características evolutivas presentes nos organismos podem ter surgidas à partir da “luta entre indivíduos de um sexo, geralmente os machos, pela posse do outro sexo”. Ainda segundo essa teoria, fêmeas geralmente preferem acasalar com machos que possuem ornamentos externos, ou seja, características morfológicas exageradas como por exemplo, o leque de penas dos pavões (figura 1).

Figura 1: Pavão (esquerda) exibindo seu leque caudal para a fêmea (direita).

Essa preferência pode surgir quando uma preferência arbritrária da fêmea por certos aspectos da morfologia dos machos cria, de certa forma, uma seleção por machos com o ornamento apropriado. Esses aspectos morfológicos aumentam sua frequência inicialmente através da deriva genética. Dessa forma, essa característica terá um valor adaptativo maior e a frequência dela será maior na população dessa espécie. Alternativamente, genes que permitem, nos machos, um desenvolvimento de ornamentos exuberantes ou aumentam a habilidade de combate, poderiam servir de pistas para a escolha feita pelas fêmeas, uma vez que tais características dos machos poderiam assim demonstrar uma “maior qualidade genética” dos mesmos.

Apesar da maioria dos exemplos dados sobre essa teoria serem relacionados a características morfológicas, certas características comportamentais também podem ser selecionadas da mesma forma. Como exemplos disso pode-se destacar as “danças rituais” ou o canto executados por várias espécies de aves.

Um outro comportamento interessante é realizado principalmente por algumas espécies de aves, insetos e aranhas. Esse comportamento é conhecido como “nuptial gift” (ou “presente nupcial”, em português). Os machos fornecem esses “presentes” às fêmeas em forma de nutrientes antes, durante ou imediatamente após à cópula. Existem uma variedade de formas como esta transferência de nutrientes ocorre. O exemplo mais conhecido de comportamento de presente nupcial ocorre quando machos doam às fêmeas, presas capturadas ou outros itens alimentares coletados. Tal comportamento ocorre em espécies de aves (figura 2a), insetos (figura 2)b e também aranhas.

Figura 2: Exemplos de comportamento de “nuptial gift” em aves (a) e insetos (b).

Além disso, machos de algumas espécies de insetos se desfazem de partes do corpo para doar às suas parceiras, enquanto outros são inteiramente consumidos durante o acasalamento por fêmeas canibais, como as fêmeas de louva-a-deus (figura 3), escorpiões e aranhas. Esse presente nupcial também pode ocorrer na forma de diferentes tipos de secreções, como ocorrem em espécies de insetos, centopéias e onicóforos.

Figura 3: Canibalismo sexual em louva-a-deus (©Oliver Koemmerling).

Figura 3: Canibalismo sexual em louva-a-deus (©Oliver Koemmerling).

Figura 4: Uma aranha da espécie Pisaura mirabilis.

Esse comportamento incomum  já é bem conhecido para uma aranha, a espécie Pisaura mirabilis (Araneae: Pisauridae – figura 4). A Pisaura mirabilis é uma aranha relativamente grande (cerca de 12mm de corpo) que caça no solo em áreas gramadas ou similares. Faz parte da família Pisauridae que é muito próxima da família Lycosidae que contém espécies aparentadas. Após atingir a maturidade sexual, o macho de P. mirabilis passa por um mudança no seu comportamento em relação à presa. Ao invés de se alimentar de uma presa capturada, ele a embala com seda. Esse comportamento só exibido pelo macho e só após a maturidade sexual. Depois disso o macho, carregando a presa  com as quelíceras, parte em busca de uma fêmea para copular. Quando encontra uma parceira em potencial, ele permanece imóvel  exibindo o “presente” e esperando a aproximação da fêmea. Ele inclina seu corpo verticalmente para baixo com as fiandeiras rente ao chão e expõe o presente nupcial embalado em uma seda branca e densa que em contraste com seu ventre castanho-escuro, chama a atenção da fêmea. Nesse momento, a fêmea percebe o presente. Quando a fêmea aceita o presente, o macho pode dar início à cópula. A fêmea então começa a se alimentar da presa. O macho assume a postura de cópula e inicia a transferência de espermatozoides (figura 5).

Figura 5: Comportamento de cópula em Pisaura mirabilis.

A forma e aparência do presente tem grande importância nessa estratégia e podem aumentar a chance do mesmo ser aceito pela fêmea e dar ao macho uma chance de copular. Estudos recentes indicam que o presente nupcial é mantido por seleção sexual. Em experimentos de laboratório, a presença e tamanho do presente nupcial influenciaram a duração da cópula e o sucesso de fertilização, mas a fecundidade da fêmea e o tamanho da prole não foram significativamente influenciados.

Também é sugerido que a aparência do presente nupcial lembra a do ovissaco produzido pelas fêmeas, uma massa branca e arredondada. As fêmeas dessa espécie carregam o ovissaco cuidadosamente até a eclosão dos filhotes. A semelhança visual entre o presente nupcial produzido pelo macho e o ovissaco produzido pela fêmea sugere uma possível explicação para o sucesso da estratégia adotada pelo macho. Produzindo esse presente que imita o ovissaco, os machos exploram o instinto de cuidado maternal das fêmeas.

Contudo, carregar esse presente nupcial é cutoso para os machos pois podem dimunir sua mobilidade e capacidade de fuga de predadores, da mesma forma que o leque caudal dos pavões. Dessa forma, essa estratégia torna-se muito interessante de ser estudada do ponto de vista da Seleção Sexual. Uma teoria formulada recentemente tenta explicar tais características custosas para os machos, conhecida como Handicap Principle (algo como “princípio da desvantagem” em português), desenvolvida pelo biólogo Amotz Zahavi.

Essa teoria sugere que esses “sinais de confiança” que um indivíduo (geralmente o macho) exibe para o outro (geralmente a fêmea) devem ser muito custosos para o indivíduo que os utilizam, custo esse que não poderia ser exibido por um indivíduo que não exibisse tal característica particular. Dessa forma, a teoria sugere que indivíduos com maior valor adaptativo sinalizariam esse status através de alguma “desvantagem” comportamental ou morfológica que efetivamente dimiuíria a capacidade de disputa dos indivíduos que a possuem em relação aos que não possuem. No caso da P. mirabilis, por exemplo, machos que não carregam o presente nupcial conseguem escapar mais facilmente de predadores.

A idéia central é que características sexualmente selecionadas possuem a função de indicar a capacidade de indivíduos (machos) se utilizarem ou manterem uma característica custosa. Assim, outros indivíduos (fêmeas) poderiam perceber a “qualidade” daqueles indivíduos, pois indivíduos qualitativamente inferiores não teriam a capacidade de manter tais características extravagantes.

Bom, se você acha complicado essa coisa de presente de dia dos namorados, agora imaginem a complicação que é para essas aranhas e outros animais que exibem esse comportamento de presente nupcial!

Para saber mais:

Bilde, T.; Tuni, C; Elsayed, R; Pekar, S & Toft, S. 2007. Nuptial gifts of male spiders: sensory exploitation of the female’s maternal care instinct or foraging motivation? Evolution, vol. 56 (3): 590 – 596.

Darwin, C. 1871. The descent of man and selection in relation to sex. J. Murray, London.

Kirkpatrick, M. 1982. Sexual selection and the evolution of female choice.  Evolution, vol. 36 (1): 1-12.

Pereira, R.B. 2009. Comportamento sexual e a importância do presente nupcial na reprodução de Thaumasia sp. nov. (Araneae: Pisauridae).  Dissertação (Mestrado em Biologia Animal) – Universidade de Brasília, Brasília.

Stalhåndske, P. 2001. Nuptial gift in the spider Pisaura mirabilis maintained by sexual selection. Behavioral Ecology, vol. 12 (6): 691–697.

Zahavi, A. Mate Selection – A Selection for a Handicap. Journal of Theoretical Biology, vol. 53: 205-214.

Zahavi, A. & Zahavi, A. 1997. The Handicap Principle: A missing piece of Darwin’s puzzle. Oxford: Oxford University Press.

Anúncios

6 pensamentos sobre “Presente de namorado

  1. E ae Célio…

    Não sabia que escrevia essas coisas… parabéns, muito bom o trabalho como um todo e a idéia…

    Li só o dos dias dos namorados, mas depois irei ler os outros xD…

    Até mais, abraço.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s